segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Quem se lembra de Américo Leitão?

Quem se lembra de Américo Leitão? - perguntava Óscar Trindade no seu fotoblogue. Ora, o Jornal de Penacova
( Novembro de 1932 ) publica uma notícia sobre a adesão deste penacovense
ao Movimento do Integralismo Lusitano,
bem como de José Amaral. 
O tom do texto é nitidamente cáustico. 
 A crítica dessa tomada de posição, pode verificar-se logo de início do artigo quando se recorre ao  trocadilho "intrigalhismo lusitano".

 Seja como for, aqui trazemos
este apontamento.

Seria interessante que o desafio de Óscar Trindade suscitasse a publicação de mais elementos sobre este penacovense.
---------------
Dona Aldegundes de Jesus Maria Francisca de Assis e de Paula Adelaide Eulália Leopoldina Carolina Micaela Rafaela Gabriela Gonzaga Inês Isabel Avelina Ana Estanislau Sofia Bernardina de Bragança (Bronnbach, 10 de Novembro de 1858Gunten, 15 de Fevereiro de 1946) foi uma infanta de Portugal.

Em 1922, tendo em conta o afastamento dos integralistas, e mais ainda o facto de depois de quase uma década de casamento D. Manuel e D. Augusta Victória ainda não terem filhos, o monarca exilado tentou uma nova aproximação ao ramo miguelista. O encontro teve lugar em Abril de 1922, em Paris, sendo representante do rei, o seu lugar-tenente Aires de Ornelas, e pelos miguelistas Aldegundes de Bragança, Duquesa de Guimarães e Condessa de Bardi, tutora de D. Duarte Nuno.

Sem comentários:

Enviar um comentário