quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Hospital de Lorvão: artigo de opinião de Paulo Figueiredo no Beiras

Algumas vezes publicámos neste blogue ( ver 1 e 2 ) textos do Dr. Paulo Figueiredo. Ao termos agora conhecimento de mais um texto, actual e pertinente,  sobre o extinto Hospital de Lorvão,  não quisemos deixar de o transcrever:


Paulo Figueiredo

 Os doentes do Lorvão e o café da D. Tila

Já não bastavam os politiqueiros apressadamente convertidos aos modernos paradigmas da Saúde (e doença) Mental que, acerca do Hospital Psiquiátrico do Lorvão (HPL), bramaram que “ não se podia chamar àquilo um hospital” – apesar de nunca se terem informado do que lá se fazia.

Não bastavam os indivíduos denunciantes de uma pretensa “acumulação de doentes sem os tentarem reabilitar” – mas que nunca foram ao Lorvão, apesar de lhe terem apontado as “más condições climáticas”, seja lá isso o que for.

Eis que vem agora o presidente da Fundação ADFP (Miranda do Corvo), – para onde os doentes do sexo masculino (ex)residentes no Lorvão foram conduzidos, num processo de trans-institucionalização (i.e, transitaram de uma instituição para outra) – dizer que os doentes estariam “impedidos de uma vida em contacto com a comunidade” e, que, ao contrário do que sucedia no Lorvão (infere-se), “a ADFP aposta em cuidados dedicados aos doentes mentais graves que apostem na humanização, no respeito e na dignidade da pessoa”, considerando que “a segregação e a “guetização” são práticas condenáveis, que a ADFP pretende contrariar, investindo nas pessoas, com bondade” (sic). Na mesma notícia, o sr. presidente triunfantemente anuncia a efectivação, no passado dia 9 de Novembro, de uma acção terapêutica de grande importância : alguns doentes saíram da instituição (onde chegaram em Julho, 4 meses atrás, pelo que se depreende da demorada preparação desta acção anti-gueto) e … “foram de manhã ao café da aldeia, ao café da D. Tila” !! Zelosamente acompanhados por uma psicóloga e assistente social, imagine-se !! Alegremo-nos : este enorme e “bondoso” benefício irá passar a ser realizado semanalmente.

Cada um é livre de se pôr em “bicos de pés” – o ridículo do teor da notícia irá encarregar-se de o fazer cair. Mas não denegrindo uma Instituição (e os seus trabalhadores) que durante muitos anos cuidou seriamente dos seus doentes :

- É inumerável o rol de actividades sócio-ludo-terapêuticas dirigidas aos seus doentes residentes pelo HPL. Meticulosamente planeadas, com pré-definição dos objectivos e rigorosa avaliação posterior do seu alcance. Documentadas em filmes e fotografias, para ver e comentar no dia seguinte em reunião colectiva dos participantes, altura em que se debatia e votava o local da próxima acção. Numerosíssimas idas à praia, às feiras, aos mercados – e que lições retirámos da efusivamente risonha interacção entre as peixeiras da Figueira da Foz e os doentes !! Sempre procurando diluir o estigma nas ruas, nos restaurantes, nos transportes públicos. Mas espante-se, sr. presidente, com os tortuosos caminhos da dita “guetização” promovida pelo Lorvão : semana de férias anual, na praia, em locais como a Quinta da Fonte Quente (Tocha), na Figueira da Foz e no Algarve (instalações do INATEL); EXPO 98 e, mais tarde, outras visitas ao Oceanário; Jardim Zoológico em Lisboa; Bracalândia (Braga); Badoca Parque e Festa da Flor (Alentejo); cruzeiro no rio Douro; Sea Life, oceanário (Porto); Serra da Estrela; assistir a jogos de futebol (em Coimbra e Lisboa) e a peças de teatro; ida a Santiago de Compostela (Espanha), por vários dias. Impossível citá-las a todas, sendo que muitas foram sucessivamente repetidas por desejo expresso dos doentes – como é o caso das idas anuais ao Santuário de Fátima. Note-se que o esforço e profissionalismo dos funcionários (pessoal auxiliar, médicos, administrativos, psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais, administrativos, motoristas, terapeutas ocupacionais, capelão – toda a gente colaborava !!) possibilitou que, em muitas destas actividades, a mobilização dos doentes residentes fosse total. Não eram 5 doentes (como surge na foto que ilustra a notícia, certamente obtida no café da D. Tila…), eram muitos mais – acções houve que mobilizaram cerca de 200 pessoas !!

- Entre muitas outras actividades (como a alfabetização, música e a ginástica/desporto) há que citar ainda o treino de autonomia pessoal e independência funcional (comunicação interpessoal, fazer compras, utilização de serviços públicos, etc) intensivamente praticado no HPL. Obviamente, admitimos que o rol das actividades de osmose do contexto vivencial institucional com o exterior desenvolvidas no HPL, apesar de impressionante pela variedade, dimensão e rigor científico, nunca poderá ser comparado às “bondosas” (sic) idas semanais dos doentes ao café da D. Tila…

Mas a dita “guetização” verificada no Hospital do Lorvão teve ainda uma outra dimensão, provavelmente ainda mais importante, incentivada pelos técnicos mas potenciada pela notável inserção da Instituição na comunidade circundante. Todos os dias (sublinhado) os doentes circulavam livremente pela vila, frequentando o banco, a cabeleireira, as lojas, as mercearias, os cafés e, por vezes, os restaurantes; eram tratados familiarmente, pelo nome próprio, pelos habitantes do Lorvão, que “adoptaram” alguns deles de tal forma que regularmente os convidavam para almoçar e passar festividades como o Natal. O que justifica as lágrimas da população do Lorvão aquando da definitiva partida dos “seus” doentes e Amigos; e que hoje, quando escrevo estas linhas frontais e indignadas, comoverá muita gente no funeral do Mário Abreu (o “Má”, como era carinhosamente conhecido), um dos doentes mais populares e queridos do Lorvão.

É esta idiossincrasia que torna o Lorvão único, no sentir unânime de quem por lá passou, funcionários e doentes. Pelos 50 anos do seu importantíssimo papel na assistência psiquiátrica ao povo pobre das serras e dos campos, merece ser tratado com dignidade e respeito. Nós – e sabemos que connosco muita gente que indelevelmente considera o HPL como tendo sido a sua “casa” – cá estaremos sempre para denunciar a injustiça e a mentira com que alguns arrogantemente pretendem reescrever a História.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Coral Divo Canto actuou na Galiza

Foto actualizada do Grupo

No  dia 24 do corrente mês de Novembro o Coral Divo Canto de Penacova participou no 6º. Concerto "OUTONO DE CORAIS "na cidade de Vigo organizado pelo Coral Máximo Gorki.O concerto teve lugar no auditório do Instituto Santa Irene em Vigo.Participaram para além do grupo organizador,o  Coral Divo Canto e o Coro del Ilustre Colegio de Abogados de Vigo.Com o auditório completamente cheio, coube ao Coral Divo Canto o encerramento, o qual mereceu os aplausos dos presentes durante a sua actuação. tendo exibido o seguinte programa:
 A south african  trilogy - Popular/arr. Stephan Barnicle; Cantigas de Maio - José Afonso /arr. E. Carrapatoso; Trai-Trai - Manuel Faria; Esconjuro III " Contra as travoadas" - Fernando Lopes Graça;  Canção do Pescador - Mário Sousa Santos; Foi Deus - Alberto Janes/ arr. A. Mesquita e Pinga  com Limão - Wagner Franklin.
O Coral Divo Canto que actualmente é dirigido por Pedro André Rodrigues e que  é formado por cerca quarenta elementos,  tem como próximas actuações no dia 12  e 15 de Dezembro próximo, respectivamente em Coimbra e Bragança, encerrando o ano com o Concerto de Natal no dia 23 de Dezembro, pelas 16,00 horas na Igreja Matriz de Penacova.
José Almeida

Filarmónica Lorvanense apresenta programa para Dezembro


XII Almoço-Convívio do Núcleo Sportinguista de Penacova


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

CONVÍVIO EM NEWARK A FAVOR DOS BOMBEIROS DE PENACOVA


Comandante António Simões, Presidente da Câmara, Humberto Oliveira e Presidente
da Direcção dos BVP, Paulo Dias, em Newark (Estados Unidos da América)
 
Foi a vigésima vez que o Grupo dos Amigos de Penacova em Neawark organizou uma festa convivio de angariação de fundos para ajudar Instituições ou pessoas carenciadas do Nosso Concelho. O ponto alto desta iniciativa decorreu no passado Sábado, no Clube dos Açores em Newark e, como foi noticiado, contou com a presença do Presidente da Câmara, do Presidente da Direção Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Penacova e do Comandante do Corpo de Bombeiros, que foram recebidos pelas mais de 200 pessoas que encheram o salão de alegria, de convívio mas também de solidariedade, de altruísmo e de exemplo de amor e carinho pela sua terra de origem.

Mesmo longe, e com uma vida de trabalho muito intensa, estas pessoas não esquecem as suas aldeias, e as suas gentes e lembram os bombeiros da sua terra também como uma garantia de ajuda aos seus familiares, como muito bem referiu no seu discurso Paula Baptista em representação da organização e de todos os participantes no evento.
CONTINUE A LER
E VEJA MAIS FOTOS  NO BLOGUE DOS BVP

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Notas para a história do Casal de Santo Amaro e da produção de cal (III)

NP- recorte de 1952

Notas para a "história" da exploração de cal no concelho de Penacova (II)

Notícias de Penacova, 1946

 
Esta Fábrica, da qual ainda não há muitos anos se podiam ver ruínas no local (quem não se lembra da "chaminé" da Galiana, foi construida por volta de 1913, sob a iniciativa de Amândio Cabral e outros. Há referências escritas de que a cal ali produzida foi utilizada nos paredões que ladeia o Mondego em Coimbra. O percurso desta fábrica foi acidentado e a sua história ainda está por fazer. Este exemplar de arqueologia industrial não foi preservado e hoje nada resta.

Notas para a "história" da exploração de cal no concelho de Penacova (I)

in NOTÍCIAS DE PENACOVA, 1948

Teatro Experimental de Mortágua (TEM) apresenta em Penacova " É Urgente o Amor"

 
 
  
A 52ª Produção Teatral do TEM, estreada a 21 de Julho último, vai ser apresentada amanhã em Penacova. 
"O Amor é urgente para todos. Branca é a que sofre mais, mas todos denunciam essa urgência em amar e ser amado. A vida poderia continuar assim, uma farsa tranquila, não fosse a obrigação de falar verdade para amar mais e melhor. Branca opta pela verdade e, com esta decisão, implica todos à sua volta: Mãe, Madalena, Alberto e Jorge. Ninguém quer sair e perder no amor. No final… um reflexo de nós mesmos, do nosso mundo de interesses e necessidades, cruzado pela imperial urgência do amor."
T.E.M.


terça-feira, 20 de novembro de 2012

Memórias de Pedra e Cal recolhidas em Penacova


foto: mototurismo do centro
A produção de cal no concelho de Penacova e a tradição desta atividade no Casal de Santo Amaro é tema integrante do documentário Memórias de Pedra e Cal, uma co-produção luso brasileira, cujas filmagens se encontram a decorrer.
Um sociólogo, Paulo Peixoto, um arquiteto, Pedro Providência, ambos portugueses, e os brasileiros, Regina Abreu, antropóloga, e Noilton Nunes, realizador, estão, desde outubro, empenhados em realizar um documentário sobre o modo como o Mondego e a sua geologia influenciam as técnicas utilizadas na construção de edifícios e o desenvolvimento das atividades económicas nos 14 concelhos por onde o rio passa.

SAIBA MAIS AQUI

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Feira do Mel e do Campo encerrou com casa cheia

Depois de um sábado chuvoso, o Verão de S. Martinho chegou no domingo, ajudando à festa e trazendo à vila centenas de pessoas, onde não faltou o autocarro vindo de Lisboa transportando os penacovenses ali radicados e pertencentes à Casa do Concelho de Penacova na capital. Vieram cumprindo a tradição do magusto e visitando a Feira. Muitos dos Ranchos Folclóricos do nosso concelho animaram a tarde. A divulgação dos produtos locais e também as vendas foram objectivos conseguidos.
As fotografias captadas pelo Penacova Online no final da tarde de domingo dão uma imagem do êxito deste evento.

 
 
Foram cerca de 30 os "expositores" que marcaram presença:
A Padaria do Largo
A.M.C.R. do Carregal
APPACDM
Cantinho do Chá
Cantinho do Mel
Celestina Ralha
Centro de Acolhimento
Cristina Marques
Escuteiros de Penacova
Ginjinha de Óbidos
Grupo Social e R. de Miro
Isabel Alves
João Branco
Manuel Maria
Mel da Ribeira de Arcos
Mel Rui Neves
Natália Henriques
Novo Talho Confiança
Paróquia de Penacova
Produtos da Nossa Aldeia (Miro)
Produtos do Freixieiro-Iva Flórido
Rancho do Zagalho e Vale do Conde
Renata Carvalho
Sabores do Aveledo
Talho da Praça
Talho S. João
Terra de Cores-Dilene Silva
Terra Planta-D. Preciosa
Vitor Cruz
 
 
 
 
 

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Comitiva Penacovense nos Estados Unidos


O Presidente da Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Penacova, Paulo Dias e o Comandante do Corpo de Bombeiros, António Simões, deslocam-se aos Estados Unidos a fim de participarem no convívio dos Nossos conterrâneos radicados naquele País, que se realiza a 18 deste mês de Novembro, em Newark, e no qual participa também o Presidente do Município Humberto Oliveira.

Esta iniciativa que se realiza pela vigésima vez, foi interrompida nos dois últimos anos devido à morte prematura de um dos seus maiores impulsionadores, e contribui, não apenas para minimizar as carências financeiras dos Bombeiros, mas também para aproximar cada vez mais os filhos desta Terra, que um dia se viram obrigados a partir mas que, mesmo longe, não se esquecem das suas raízes, do seu concelho, das suas gentes e sobretudo da Instituição que suporta o Corpo de Bombeiros, considerando-a assim, uma Associação fundamental, para garantir a prestação dos cuidados de emergência e do socorro nas mais variadas vertentes.

Bonita gesto de humildade, de solidariedade mas sobretudo de amor, recordação e carinho pela sua terra, pelas suas raízes e pelo seu concelho.

Num mundo e numa sociedade cada vez mais egoísta, onde o homem é capaz de feitos tão importantes, como a possibilidade de ir à lua, por vezes os vizinhos e os que estão mais perto, não têm, ou não querem ter tempo sequer para se cumprimentar.

Quantas e quantas vezes, os que estão mais próximos dos Bombeiros, os que deles mais precisam, são exactamente os que mais se esquecem de que estes existem. Contudo, estes Amigos e cidadãos deste nosso bonito concelho, mesmo longe e não tendo uma necessidade próxima e objectiva dos serviços da nossa Associação, não a esquecem e, ano após ano, organizam-se, trabalham e não poupam esforços para angariar fundos que generosamente entregam aos seus “Soldados da Paz”.

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Penacova, como Entidade que tem nos seus estatutos a obrigação de suportar um Corpo de Bombeiros organizado e capaz, e a Câmara Municipal como Entidade responsável pela Protecção Civil do concelho, agradecem à Liga dos Amigos de Penacova em Neawark, a organização de mais este encontro e a todos os Portugueses e Penacovenses que nele participam.
Texto: Blogue dos Bombeiros de Penacova
  ..............................................

Newark é a cidade mais populosa do estado de Nova Jérsei, nos Estados Unidos. Localiza-se no Condado de Essex. É uma das principais cidades da Região Metropolitana de Nova Iorque. Foi fundada em 1666 e elevada a cidade em 1836.
 
Newark é um moderno centro comercial, industrial e financeiro. Abriga o segundo principal aeroporto da Região Metropolitana de Nova Iorque, o Aeroporto Internacional de Newark, que movimenta quase 30 milhões de passageiros anualmente.
 

Feira do Mel e do Campo anima Penacova este fim de semana


segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Extinção de Freguesias:o novo mapa de Penacova

Proposta da Unidade Técnica Nacional
 
Já foi entregue na Assembleia da República, como é sabido, a proposta para a extinção de freguesias. O concelho de Penacova (clique AQUI)  também é afectado e a "régua e esquadro" está bem visível nesta proposta. É ridículo, por exemplo que um dos argumentos invocado seja  o de que as freguesias em causa partilham de um mesmo agrupamento de escolas, quando sabemos que o concelho tem apenas um Agrupamento e portanto todas estão na mesma situação. Que vão ganhar as populações locais e o país no seu todo, com todos estes remendos? Também ridícula é a designação de "União das Freguesias de ..." ( da União Nacional à União Local? ),  ridícula é ainda, a referência "à ligação directa de Travanca a Oliveira" (Vamos ter obras de alargamento e correcção de traçado na Estrada da Serra? - com as verbas que abundam...) Mas o Terreiro do Paço lá sabe.
O presidente da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE), Armando Vieira, afirma que aguarda serenamente a decisão do Tribunal Constitucional sobre a extinção de freguesias. O dirigente sublinha a oposição da associação a este processo.  A Unidade Técnica para a Reorganização Administrativa do Território entregou na Assembleia da República uma proposta que prevê a extinção de 1165 freguesias, Armando Vieira critica que o governo persista “nesta atitude que viola os direitos constitucionais das autarquias de determinarem o seu futuro” O presidente da ANAFRE acredita que os problemas vão surgir quando forem postos em prática os novos limites das freguesias.

Filarmónica de S. Pedro de Alva vai celebrar 47 anos de existência

9 de DEZEMBRO DE 2012
 
9h-Arruada pelas a vila
10h-Romagem ao cemitério
11:30h-Missa por alma do Fundador, Regentes e Filarmónicos já falecidos, acompanhada pela filarmónica.
12:30h-Chegada da Orquestra de Sopros da Academia Musical da Banda de Ourém
13h-Almoço-convívio
15:30h-Concerto das bandas
16:30h-Encerramento


inscrições para o almoço 239456219/917587698


domingo, 11 de novembro de 2012

Vem-nos à memória uma [história] batida...


A Evolução da Albarda,
 in a Paródia, Julho de 1900
Gravura Col. Alexandre Ramires
clique na imagem para ampliar
O mote para o título deste apontamento vem de Sérgio Godinho que cantava: Vem-me  à memória uma frase batida, hoje é o primeiro dia do resto da tua vida...

Rafael Bordalo Pinheiro deu o nome de Zé Povinho à figura simbólica (1875) através da qual pretendeu captar a verdade íntima dos mais numerosos, pobres e anónimos portugueses daquele seu tempo – recorda-nos Amadeu Carvalho Homem no seu recente livro, Memorial Republicano, editado pelo Município de Coimbra. Escreve também este autor: “O destino do Zé Povinho foi adivinhado por Bordalo Pinheiro desde o primeiro esboço: enquanto o mundo se transforma em mil novas mutações, o Zé, bem povinho e ignaro, ‘fica sempre na mesma’".
No entanto, recorda ainda A. C. Homem, "é capaz de arregalar um olho de alimária à beira de um coice vingador. E, sobretudo na cerâmica de Bordalo, o famoso "manguito" dar-se-á como sinónimo de uma clarividência sem teoria, sim, mas apesar de tudo, sábia, no desvendamento, mais intuído que demonstrado, de cumplicidades pulhas, de poderes apodrecidos e de bastidores corruptos".
Deixamos aqui este cartaz que tem 112 anos...palavras para quê? Cada um fará a sua leitura e reflexão.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

"Rio Mondego, da Nascente até à Foz": exposição chega a Penacova


Exposição de Pintura no Centro Cultural

 

Os alunos da APOSÉNIOR, Abel Carvalho, Gracinda Moreira e Rosa Carvalho expõem, até ao próximo dia 16 de novembro, na Galeria da Biblioteca Municipal de Penacova/Centro Cultural, as suas obras realizadas no âmbito da disciplina de Pintura. A Exposição foi organizada por Sara Pinto, licenciada em Pintura e Mestre em ensino de Artes Visuais, atual professora da disciplina de Pintura daquela instituição.

A Associação Aposénior - Universidade Sénior encontra-se sediada em Santa Clara (Coimbra) e atua na perspetiva da aprendizagem continua, tendo como objetivo proporcionar aos seus associados um vasto leque de atividades físicas, intelectuais e de convívio.