domingo, 27 de novembro de 2016

Reflexo(s): título do novo livro de poesia de Luís Pais Amante

Depois de ter lançado em Março passado o livro de poesia “Conexões", Luís Pais Amante vai apresentar, já no dia 9 de Dezembro, um segundo livro de poemas, desta vez intitulado “Reflexo(s)”.
Apesar de radicado em Lisboa, Luís Amante cultiva laços viscerais com esta terra que o “viu nascer”, que o embalou nos anos da sua meninice e que o recebe também com alguma frequência. Esta ligação forte a Penacova é uma constante na sua obra poética. Podemos desde já afirmá-lo quanto ao novo livro, pois o Penacova Online tem a honra de apresentar, em primeira mão, um dos poemas que dele vão fazer parte: “O que Penacova tem”. Desde já, em nome pessoal e em nome dos leitores deste blogue, o nosso reconhecido obrigado.
Um texto que nos remete para as potencialidades que esta terra tem mas que, (in)compreensivelmente, ainda não soube ou não foi capaz de fazer valer. Estamos também  a recordar-nos da intervenção que teve no colóquio “Mondego Vivo” em 21 de Janeiro de 2012. O Penacova Online esteve lá e fez o registo. Nesse evento, o Dr. Luís Pais Amante apresentou o tema "Penacova - Quem somos e o que pretendemos". Referiu algumas das potencialidades e debilidades do concelho e indicou algumas coordenadas para o futuro de Penacova. Tópicos que designou por “Vectores” e “Âncoras” de “Desenvolvimento”.

Poema "O que Penacova tem" in Reflexo(s), livro a ser lançado no dia 9 de Dezembro

Como dizíamos, Penacova está presente na sua escrita, na sua poesia, mas também naqueles e noutros espaços de intervenção.
“Participar, tanto quanto possível, nas questões da minha terra, constitui‑se para mim como imperativo de consciência” - escreveu, por ocasião do lançamento de “Conexões.

Reflexo(s), o seu novo livro, vai ser apresentado pela Prof.ª Doutora Luísa Branco Vicente, no dia 9 de Dezembro de 2016 às 18 horas, na Associação 25 de Abril, em Lisboa.  

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Farinha Podre e o seu progresso


O concelho de Farinha Podre fora criado havia uns 3 anos. Segundo dados de 1839, este novo agregado administrativo tinha 1357 fogos (Penacova, na altura só com 5 freguesias, teria 1920).

Legislação publicada em 22 de Novembro (fez há dias 177 anos), assinada pela rainha D. Maria II determinou que fosse instalada em Farinha Podre “huma Cadeira de Ensino Primário”. No distrito de Coimbra, na mesma data, foram também criadas, além da actual S. Pedro de Alva,  iguais estruturas em Fajão e Semide (também sedes de concelho) e em Beijós (Carregal do Sal) e Lava-Rabos (actual S. João do Campo).

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Cartas brasileiras: as santas lá de casa

Santo de casa não faz milagre, dizem alguns incrédulos; mal sabem eles.
Em minha casa havia duas santas, minha mãe, milagreira no cotidiano para dar conta dos oito filhos, trabalhar e cuidar da casa, chegou primeiro, junto com seu amor, meu pai, e a outra santa, a imagem da Imaculada Conceição.
Uma linda imagem linda, tinha mais de um metro. Chegou em 26 de maio de 1956, comprada por meu pai em São Paulo. O dinheiro obteve através de uma lista que fez passar entre amigos, como o arrecadado foi maior do que o necessário, dou a sobra para a Matriz do Divino Espírito Santos.
Houve a festa da coroação, teve até banda de música. A coroa banhada a ouro e incrustrada com pedras preciosas foi doação de uma família barretenses; o quantum, por questão de segurança, deixo de informar; a preciosidade tem também valor sentimental, e agora já histórico.
Em uma anotação que deixou, ele nos pediu, quando partisse para junto de mamãe, deveríamos levar a Santa para uma igreja, capela ou entidade religiosa, não queria que fosse para o cemitério; não queria visitas de buscadores de milagres. Ele se foi em agosto de 2007. Assim, seguindo as instruções dele, a Santa foi doada para na Casa da Catequese Paulo VI, localizada na avenida 23 entre as ruas 12 e 14, Barretos.
Por iniciativa, creio que do vigário, no pano de fundo do pedestal onde se encontra a Santa, está escrito: “Eis aqui tua Mãe”. Que lindo!
Mesmo estando tão longe da minha cidade natal, posso rezar e fazer meus pedidos. Aprendemos, é através dela que Deus nos ouve, ainda que não nos responda.Escreveu Exupéry em sua obra inacabada Cidadela: “sabemos que Deus ouve nossas preces quando Ele não nos responde”.
     
P.T.Juvenal Santos – ptjsantos@bol.com.br


segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Feira do Mel e do Campo animou fim de semana


A edição de 2016 da Feira do Mel e do Campo encerrou este domingo com um balanço “muito positivo”, reconhecido por expositores e visitantes - lê-se na página oficial do Município. É essa nota de imprensa que publicamos:

Fotos: site do município

"O mel e os produtos do campo uniram-se, no Parque Verde de Penacova, durante os três dias do certame, a muita animação musical, ao tradicional magusto oferecido pelo município e a momentos de franco convívio entre a população local e os visitantes.


Humberto Oliveira, Presidente do município de Penacova, adianta que “muito do sucesso da Feira do Mel e do Campo se deve à forma dinâmica e empenhada, à força, motivação e proatividade, como os expositores e/ou produtores que aqui se encontram ajudam a alimentar e cimentar esta Feira, que se pretende que cresça a cada ano que passa, sendo já, um evento de grande destaque regional, movendo visitantes de vários concelhos vizinhos que apreciam a qualidade do evento e o saber receber do povo penacovense”.
Por seu lado, Fernanda Veiga, Vereadora do Pelouro do Turismo da Câmara Municipal de Penacova, salienta que, “nesta edição da Feira do Mel e do Campo, partilhámos com os visitantes o melhor que se faz no nosso território, no que diz respeito aos recursos primários/endógenos, de uma forma digna e meritória para todos os produtores, destacando, nomeadamente os produtores locais, ajudando a projetar a sua imagem, mostrando o seu dinamismo, e acima de tudo, a qualidade dos seus produtos”.
Fernanda Veiga, destacou igualmente, a qualidade da animação musical, fator de atração adicional ao evento que nesta edição contou com as atuações do Grupo de Concertinas do Caneiro, Grupo de Cavaquinhos da União Popular da Rebordosa, Grupo Cantar Travanca do Mondego, Flora do Mondego, DJ Nuka, Mónica Sintra, Ruizinho de Penacova e Quim Barreiros, que encerraram o certame em clima de grande festa.
Também o Festival Gastronómico “Mês dos Míscaros e do Sarrabulho” marcou presença neste evento fazendo-se representar por alguns dos restaurantes aderentes a esta iniciativa gastronómica do município, que se prolongará até meados de dezembro em 14 restaurantes do concelho e que permite, mesmo aos mais céticos, descobrir uma das maravilhas da gastronomia local."

Fotos: Penacova Online