sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Foz do Caneiro: há fascínios que se guardam no coração de quem a visita...

Portugal com um território tão pequeno apresenta-nos uma grande variedade de paisagens feita pela justaposição de relevos de vários tipos. Alguns rasgados por rios e planícies aluviais levam-nos a viajar não só pelas suas serras e aldeias como pela sua geomorfologia antiga.
Há fascínios que se guardam no coração de quem visita este tão pequeno território e esta imagem captada na Foz do Caneiro - concelho de Penacova é a prova disso . Uma imagem apetrechada pela própria natureza que não descuidou dos detalhes e que me deixou , desde a minha infância, fascinada.
Um percurso à beira Rio Mondego até Penacova faz daquela região um mosaico natural que levará aos mais atentos a uma comunhão entre a paisagem natural e a ocupação humana.
Os animais como o javali, a raposa, entre muitos outros percorrem as serras e as suas florestas . Todos em comunhão com os seus habitantes e em comunhão com o silêncio que ali se instala de dia e de noite.
A presença das acácias na época primaveril, embora , por vezes, anteceda a sua chegada, faz com que o espaço paisagístico nos preencha de esplendor e nos deixe com vontade de a ficar a admirar até anoitecer.
Sejam bem vindos aos Concelho de Penacova!

Sónia Marques Carvão

Publicada originalmente no Facebook (23/02/2017) 

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Serões no Mosteiro: Zita Seabra vem a Lorvão falar da mulher na política e no trabalho

O Mosteiro de Lorvão custodia, há mais de sete séculos, as preciosas relíquias dos corpos das Santas Rainhas Teresa e Sancha de Portugal. Nelas buscou-se a fonte de inspiração para um conjunto de cinco serões que o Mosteiro de Lorvão nos convoca nas últimas sextas-feiras de cada mês até Maio. No desejo de delinear mais expressivamente o rosto feminino da Igreja, a Paróquia de Lorvão, com o patrocínio oficial do Município de Penacova e com o apoio de diversas entidades locais e diocesanas, convidou algumas mulheres que aportarão o seu testemunho pessoal nas mais variadas dimensões: familiar, profissional, política, social, artística e, claro, religiosa.

O segundo serão no Mosteiro será no dia 24 de fevereiro, sexta-feira, pelas 21h. “A Mulher na Política e no Trabalho”: o tema será desenvolvido pela segunda convidada, Zita Seabra, ex-deputada e empresária editorial, numa conversa orientada pelo Pe. Pedro Miranda, Vigário Geral da Diocese de Coimbra.

A iniciativa contará com um momento musical protagonizado pelo Órgão de Tubos histórico do Mosteiro do Lorvão, com o organista João Henriques e acompanhado por instrumentistas de sopro da Filarmónica Boa Vontade Lorvanense (trompa: Paulo Lopes; clarinete: Diana Macedo). Contará também com a participação especial do Pe. Pedro Miranda que acompanhará com a flauta transversal.



Será também uma oportunidade para rever o filme promocional do Mosteiro de Lorvão!


PRÓXIMOS SERÕES

31 de Março de 2017 – 21h00 | “A Mulher na Sociedade”
Convidada: Isabel Jonet | presidente do Banco Alimentar contra a Fome
Momento musical: João Henriques (órgão)

28 de Abril de 2017 – 21h15 | “A Mulher na Igreja”
Convidada: Inês Vasconcelos | assistente na Capelania Hospital do CHUC
Momento musical: Escola Diocesana de Música Sacra

26 de Maio de 2017 – 21h15 | “A Mulher na Cultura”
Convidada: Teresa Salgueiro | cantora
Momento musical: Escola de Música de São Teotónio


sábado, 4 de fevereiro de 2017

"Experiência turística e mostra de produtos invadem o Mosteiro de Lorvão"


Por se tratar de uma iniciativa de promoção do Mosteiro de Lorvão e do concelho de Penacova, publicamos o seguinte comunicado que recebemos via e-mail: 

No próximo sábado, 11 de fevereiro, Portugal com Paixão vai invadir o Mosteiro de Lorvão com uma experiência turística que irá contar o que ninguém conta sobre o monumento e realizar uma mostra de produtos regionais nos seus claustros.
Sob o lema “Contar o que ninguém conta...pelo Mosteiro de Lorvão”, Portugal com Paixão, em parceria com a Paróquia de Lorvão e o Município de Penacova, irão realizar no próximo dia 11 de fevereiro no Mosteiro de Lorvão uma experiência turística que terá inicio às dez da manha e terminará pelo meio dia. Nesta experiência serão revelados segredos, vistos lugares escondidos e saboreada a melhor doçaria da região. Tudo isto com a presença de personagens muito especiais que tudo sabem e nada querem contar... Uma visita diferente que terminará na Mostra de Produtos Regionais, a realizar-se nos claustros do Mosteiro, e que contará com a presença exclusiva de produtores de Penacova.
A Mostra de Produtos Regionais estará aberta entre as dez da manha e as dezassete da tarde e com acesso livre a quem visitar o Mosteiro de Lorvão*. Já se imaginou no meio dos claustros a degustar um chá ou a deliciar-se com uma nevada? Com certeza uma Mostra que envolverá a história, a tradição e gastronomia da região.
As inscrições na Visita são obrigatórias e limitadas. O valor por pessoa é 10€, menores de 12 anos é 6,5€ (inclui entrada no Mosteiro de Lorvão). Inscrições ou informações pelo email portugalcpaixao@gmail.com ou 968 902 458.
*A entrada no Mosteiro de Lorvão tem um custo de 2€.


Mais informações:
915 432 088

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Cartas Brasileiras: Cada um com sua mania


Em 1925, o médico Dr. Mariano Dias (nome de peso no espiritismo brasileiro), meu bisavô e avô maternos, tios-avôs e outros parentes, fundaram em Barretos (SP- BR), a “União Evangélica Fé e Esperança”, com a finalidade de congregar pessoas para o estudo e prática do espiritismo, constituir uma biblioteca, manter um posto-médico-homeopático, uma farmácia, que fornecia medicamentos gratuitos aos necessitados, e um asilo destinando à assistência e tratamento de alienados.
Na foto é possível identificar e nominar os meus parentes, mas deixemos isso de lado.
Quando crianças, com meus irmãos e primos, atravessávamos uma pinguela de madeira, estreita e comprida, sob a proteção de uma legião de anjos, para buscar cheirosas mexericas no Asilo dos Loucos. Íamos também para lá com nossos pais. Enquanto os adultos cuidavam das coisas ou participam de grupos de orações, nós perambulávamos pelo asilo.
Havia louco de todo tipo, os mais agressivos eram isolados, uns tinham que ser submetidos à camisa-de-força. Outros arrancavam a roupa toda, preferiam deitar no chão, tendo cama na cela. Havia uns calmos, ficavam soltos perambulando pelos corredores e quintal, buscavam contato com as visitas, se aproximavam, chegavam rindo.
Havia uma louca que gostava de comer caixa de papelão de pasta de dente. As de casa eu guardava e levava para ela.
É, cada um com sua mania. 
Cuidava do asilo a Sra. Anna Joaquina Gomes Ribeiro, minha tia-avó, o marido (Tio Antônio) e seus filhos. Ela ficou conhecida na nossa cidade como Dona Ana, virou Donana, e para nós Vonana.
Ela tinha uma mania, fazer o bem.