segunda-feira, 30 de junho de 2014

Coral Divo Canto vai apresentar espectáculo inédito em Penacova


Depois de há dias termos divulgado o cartaz, recebemos, hoje, dia 2,  um texto de Eduardo Ferreira que nos fornece mais pormenores sobre o espectáculo e lança um convite a que ninguém falte.

No próximo Sábado à noite (dia 5 de Julho - 21 horas)  em frente à Câmara de Penacova vai acontecer um espetáculo inédito por estes lados, que ninguém deve perder!


Graças à coragem, à paciência e sobretudo à competência do Maestro Pedro André Rodrigues  e às excelentes vozes das solistas que interpretam Orfeu, Eurídice e Amor (Ana Carolina Rodrigues, Carolina Simões e Joana Carvalho, respetivamente), os Penacovenses e todos aqueles que ali se desloquem podem assistir à ópera Orfeu & Eurídice, uma imortal história de amor, composta por Christoph W. Gluck, aqui apresentada pelo Grupo Coral Divo Canto, de Penacova, com as participações dos professores Júlio Dias ao Piano e Gonçalo Rocha na flauta transversal e da Escola de Ballet de Penacova e Silveirinho.
 
É assim um excelente pretexto para ir até Penacova, onde para além do espetáculo, dá ainda para nos deliciarmos com uma saborosa nevada e com a deslumbrante paisagem.
 
Lá nos encontraremos!


Eduardo Ferreira

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Cavaquinho em Cartas Brasileiras

Cavaquinho em Cartas Brasileiras  

Nelson Antonio da Silva, mais conhecido como Nelson do Cavaquinho é um dos grandes nomes da boa música brasileira; o apelido que ganhou já diz bem qual era o forte dele. Autor de umas 400 músicas, algumas chegou até a vender para poder se sustentar, tinham como tema o sofrimento, a ingratidão de amor, e uma quase obsessão  pela morte. Uma composição que bem demonstra o estilo das músicas é como “Quando eu me chamar saudade”.
clique na imagem
Sei que amanhã / Quando eu morrer / Os meus amigos vão dizer/  Que eu tinha um bom coração / Alguns até hão de chorar / E querer me homenagear / Fazendo de ouro um violão / Mas depois que o tempo passar / Sei que ninguém vai se lembrar / Que eu fui embora/ Por isso é que eu penso assim / Se alguém quiser fazer por mim / Que faça agora / Me dê as flores em vida/  O carinho / A mão amiga / Para aliviar meus ais / Depois que eu me chamar saudade / Não preciso de vaidade / Quero preces e nada mais.Nascido em 29 de outubro de 1911, faleceu em 18 de fevereiro de 1986.
No “chorinho” o grande intérprete e compositor foi Waldir Azevedo (27/01/1923 – 20-09/1980). É o autor do famoso  “Brasileirinho”.

clique na imagem
No Brasil todo grande tocador de cavaquinho gosta de executar essa música para mostrar sua qualidade artística e técnica. Waldir compôs muitas outras, como  “Delicado”, “Pedacinhos do céu”

clique na imagem
Waldir Azevedo com sua maestria levou o cavaquinho para uma posição de destaque na interpretação musical, com o que deixou de ser apenas mais um dos instrumentos de acompanhamento. 

E por que falo de cavaquinho! Por tudo que tinha até então escutado, imaginava que o cavaquinho fosse um instrumento genuinamente brasileiro. Mas, ao ver no blog o convite para o almoço comemorativo do 20° aniversário da Casa do Concelho de Penacova, li que uma das atrações será o Grupo de Cavaquinhos de Rebordosa. Fiquei curioso e me pus a pesquisar sobre o assunto tendo descoberto, o que de há muito ai já é sabido, que o instrumento,  também chamado de braquinha, braga e machete, tem origem no Minho (Portugal), de onde espalhou, até chegar ao Brasil.

E do Brasil mando abraços para todos.

P.T.Juvenal Santos


Nota da redacção: havia uma correcção a fazer relativa a datas de nasc / morte. Aos leitores as nossas desculpas.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Lisboa: Casa do Concelho de Penacova vai assinalar o 20º Aniversário

Adicionar legenda
A Casa do Concelho de Penacova é uma associação regionalista, sem fins lucrativos, composta por pessoas singulares e colectivas ou equiparadas. Foi fundada em 9 de Junho de 1994, por escritura pública realizada no 20º Cartório Notarial de Lisboa, publicada no “Diário da Republica” nº 174 / 94 (III Série) de 29 de Julho de 1994. Foram fundadores José Bernardes de Oliveira, natural de S. Pedro de Alva, e António Pimentel, Carlos Augusto Luís Simões e António Vicente Cabral, naturais de Penacova. Tem a sua sede em Lisboa, na Calçada de Carriche, nº 47 B, freguesia da Ameixoeira. Logo que foram conseguidas instalações, sucedeu à LACP (Liga dos Amigos do Concelho de Penacova) que, com esse objectivo, tinha sido fundada em 15 de Junho de 1985 pelos mesmos penacovenses, e outro, José Fernandes.

A Casa do Concelho de Penacova tem como principal finalidade promover culturalmente os seus associados; desenvolver a solidariedade entre os naturais do concelho ou que a ele se sintam ligados por laços familiares ou de amizade; divulgar as suas belezas paisagísticas, o seu património cultural e artístico, a sua gastronomia, o seu artesanato e o seu folclore; participar no desenvolvimento do concelho e prestar apoio possível ao seu comércio e à sua indústria; defender o concelho de tudo o que possa causar-lhe danos morais ou patrimoniais; organizar eventos culturais, recreativos e outros de carácter regionalista, entre sócios e simpatizantes; favorecer a prática de modalidades desportivas; colaborar com as associações similares e com as autarquias do concelho; auxiliar, dentro do possível, os penacovenses que se encontrem carenciados.

A Casa do Concelho de Penacova é sócia fundadora da ACRL – Associação das Casas Regionais em Lisboa – fez parte do seu Conselho Fiscal de 2008 a 2010 sendo presentemente Vice-Presidente da Direcção para Área Patrimonial, Equipamento e Logística.

Veja:

http://www.casaconcelhopenacova.pt/index.htm