terça-feira, 23 de novembro de 2010

JS responde às críticas da JSD

Comunicado à imprensa do Secretariado de Penacova da Juventude Socialista
De Ana Isabel Silva, do Secretariado de Penacova da Juventude Socialista, recebemos, com pedido de publicação, o seguinte comunicado:
Comunicado à imprensa
pelo Secretariado de Penacova da Juventude Socialista

 O Secretariado da Juventude Socialista do Concelho de Penacova não pode deixar de vir a público esclarecer as situações levantadas recentemente pela JSD de Penacova, que aludiu a algumas obras essenciais, estarem alegadamente paradas no Concelho de Penacova.
Acima de tudo, trata-se de um esclarecimento pois, em nossa opinião, ou esta postura da JSD reside na falta de conhecimento sobre a efectiva situação dos investimentos abordados, ou então estamos perante má fé política, procurando desinformar os cidadãos.
A JSD, pela voz do seu representante concelhio, salienta que a crítica efectuada é pela positiva. Como que querendo captar o apoio dos penacovenses. Contudo, não deixa qualquer proposta, contributo, ou laivo do seu pensamento político. Aliás, tal como o PSD em Penacova, está mais interessada em criticar, do que em indicar qual a solução que preconiza para os pseudo-problemas evocados.
Ninguém pode concordar com a afirmação de que “o Concelho ficou a perder com um ano de mandato do Partido Socialista na Autarquia”. Nós não partilhamos desta visão! Antes, porém, destacamos e reconhecemos o trabalho realizado pelo Executivo nas mais diversas áreas, como na do desenvolvimento económico, turismo, cultura, desporto, acção social e educação.
Este é um Executivo empenhado e dinâmico na resolução dos problemas das populações! Não é de mais recordar que o Concelho perdeu verdadeiramente, nos ultimos vinte e quatro anos de governação laranja, ficando mais pobre, com menos capacidade económica, com menos Jovens, sem estratégia nem projectos. Essa época não era sombria, mas de total noite escura! Durante esses anos Penacova poderia ter-se desenvolvido mais, quando havia mais financiamentos europeus e nacionais e quando a situação económica do país era mais favorável.
Mas, passando para as situações específicas aludidas pela JSD, gostariamos de esclarecer, e ao mesmo tempo informar, que a Zona Industrial da Alagoa foi claramente um obra eleitoralista do anterior Executivo, adjudicada à pressa. Pois bem, esta pressa em colocar em andamento uma obra há muito reclamada e desejada pelo Partido Socialista, teve consequências bastante nefastas, que provavelmente não são do conhecimento da população em geral.
O anterior executivo do PSD colocou em andamento as obras da Zona Industrial da Alagoa sem projectos de infraestruturas eléctricas, sem telecomunicações, sem saneamento e sem abastecimento de água, isto é, sem ter acautelado as estruturas básicas ao normal funcionamento de uma Zona Industrial, que queremos de sucesso. O Executivo do Partido Socialista quando tomou posse e depois de se inteirar da situação, não teve outra alternativa senão ver-se na contigência de suspender a obra, e projectar as valências que estavam em falta. Estamos certos que a JSD não quererá que o Executivo Municipal proceda ao asfaltamento da Zona Industrial para depois proceder à colocação das infraestruturas, algo que não estava contemplado no projecto inicial do PSD. Também entendemos que a JSD não quererá que as empresas ao fixarem-se na Zona Industrial em causa, tenham de ser auto-suficientes em termos energéticos, pois no projecto inicial não haviam instalações eléctricas projectadas. Neste processo, a JSD refere, "os atrasos afastam os investidores", e estamos certos que estes erros de projectos eram evitados, se o anterior Executivo tivesse planeado e executado adequadamente o projecto e não o gerisse de forma irresponsável, tendo como único e principal objectivo mais votos nas urnas, o que parece não ter resultado, tendo sido comprometido mais uma vez, como em tantas outras ocasiões, o desenvolvimento e o progresso do Concelho de Penacova.
Mais, como reage o cidadão de Penacova quando obrigado a cumprir todos os trâmites de licenciamento de projectos, quando se apercebe que a Câmara, quando governada pelo PSD, fez tudo à margem do que exige aos contribuintes? Esta é uma questão moral. E é estruturante!
A JSD refere que a Zona Industrial dos Covais está pronta há um ano, e queixam-se da lentidão na apresentação e aprovação do regulamento para os lotes. A JS defende que poderiam existir melhores localizações para receber uma Zona Industrial de referência, contudo colocamos fortes esperanças que o actual Executivo irá procurar dinamizar o local, pois parte significativa do investimento já se encontrava executada. Mas, sobre isto, gostariamos de ouvir a opinião da JSD, até porque uma juventude partidária que se identifica com as linhas políticas de um Partido deve obrigatoriamente ter voz no mesmo e deve, quando necessário, manifestar-se contra investimentos que constatem que poderiam ter melhor aproveitamento.
No que concerne ao novo edifício da Biblioteca Municipal, a JSD só pode desconhecer a realidade do projecto, pois poderia poupar-se ao ridículo de mais uma vez passar um atestado de incompetência ao anterior Executivo Municipal do PSD. A obra da Biblioteca Municipal está atrasada porque os arranjos exteriores não foram contemplados no programa de concurso para a adjudicação da referida obra! Ainda urge esclarecer que o financiamento que o edificio recebeu do QREN restringe-se apenas ao Centro Cultural, tendo a Biblioteca ficado de fora deste financiamento comunitário! O que é inequívoco que mais uma vez, como tantas outras, a candidatura foi mal feita, mal programada e mal executada. Os cidadãos devem conhecer isto: o Executivo liderado por Humberto Oliveira vê-se confrontado com obstáculos que não são vulgares. Para além de pretender colocar o concelho num patamar superior, tem de corrigir o que lhe foi deixado pelo anterior Executivo!
Importa também salientar que no último ano de mandato do PPD/PSD foram contratualizados mais investimentos do que nos últimos dez anos, o que não deixa de ser curioso, pois quando havia uma situação económica e financeira favorável no País, a Autarquia esteve em clara gestão corrente.
Assim uma vez, percepcionamos que JSD não conhece a realidade do seu Concelho, e a JS vê-se na contigência de vir a público proceder ao esclarecimento desta situação. Também gostariamos de salientar que entendemos que a JSD tenha de desenvolver actividades deste tipo, até porque a Juventude Partidária em questão não tem voz nem no Executivo Camarário, nem na Assembleia Municipal. Mas essa questão interna terá de a tratar dentro do seu partido.

Sem comentários:

Enviar um comentário