quinta-feira, 29 de junho de 2017

Não se sabe quando Farinha Podre passou a chamar-se S. Pedro de Alva ?

Foi com surpresa que ao lermos há pouco a notícia do Sarau Medieval que decorreu em S. Pedro de Alva no dia 2 de Junho, nos deparámos com a seguinte observação: "NÃO SE SABE QUANDO A MODIFICAÇÃO DE FARINHA PODRE PARA S. PEDRO DE ALVA OCORREU; MAS HÁ QUEM ADMITA QUE FOI A PARTIR DE 1853". 

É que o livro do Dr. Carlos Proença intitulado "Notícias Históricas de Mondalva", publicado em 1985 é bem claro.  Pelo menos a Junta de Freguesia e a Biblioteca Escolar hão-de ter um exemplar e outras pessoas o conhecerão.  Trata-se de um excelente estudo sobre a História desta região natural situada entre o Mondego e o Alva.

Vejamos a página 17: "Em documento datado de 1141, do qual Frei Manuel da Rocha, no seu tão sugestivo Portugal Renascido , transcreve breve passo, depara-se-nos a mais antiga referência escrita, até agora conhecida, a S. Pedro de Alva, sob o nome de Farinha Podre, que conservou até lhe ser dado o actual em 21 de Fevereiro de 1889, por decreto de el-rei D. Luís I. " Aqui está.

O diploma, publicado no Diário do governo do dia 23 de Fevereiro, assinado por José Luciano de Castro, Presidente do Conselho de Ministros (recorde-se que a ponte de Penacova tem o seu nome) reza assim:

"Atendendo ao que me representaram a junta de paróquia e diversos moradores da freguesia de Farinha Poder, do concelho de Penacova, para que o nome da sede da actual paróquia seja mudado para o de S. Pedro de Alva;
Vistas as informações favoráveis da respectiva Câmara Municipal e do Governador Civil do distrito de Coimbra e o disposto no art. 2º, § 7º, nº 1, do Código Administrativo:
Conformando-me com o parecer do Supremo Tribunal Administrativo;
Hei por bem determinar que a sobredita paróquia passe a denominar-se S. Pedro de Alva. "

Carlos Proença acrescenta ainda um dado importante: " Ao tempo, tinha assento na Câmara dos Deputados, exercendo funções de Secretário, uma das maiores notabilidades da nossa terra, José Maria Oliveira Matos, que desenvolveu pertinaz e valiosíssima acção em favor dos povos do antigo círculo eleitoral de Arganil, que repetidas vezes o escolheram para seu representante nas Cortes do Reino. A adopção, por sua iniciativa ou com o seu patrocínio, do novo topónimo, representaria por certo, no pensamento de Oliveira Matos, o símbolo da vida nova, que desejava para a sua terra natal."

Refere ainda um pormenor curioso: a notícia demorou a chegar a S. Pedro de Alva. No Copiador da Junta de Paróquia, há um registo de correspondência, com data de 27, onde ainda figura o nome abolido. Só em 10 de Março se procedeu a novo registo e aí, sim, já aparece S. Pedro de Alva.
____________

Saiba + sobre o livro de Carlos Proença

Sem comentários:

Enviar um comentário