domingo, 20 de dezembro de 2015

Apresentado em Coimbra o livro infanto-juvenil “Teresa de Portugal”

As autoras aquando do lançamento em Lorvão
"Teresa de Portugal" é um livro infanto-juvenil editado pelo Município de Penacova com autoria de Paula Silva e ilustrações de Cristina Carvalho e da autora. Lançado em Lorvão no passado dia 16 de Outubro, aquando das Comemorações dos 300 anos da Trasladação das Santas Rainhas,  foi apresentado hoje na FNAC do Forum Coimbra, procurando assim,  chegar a um maior número de leitores. Deste modo,  o mesmo pode agora ser adquirido também naquele espaço comercial, além da Biblioteca Municipal de Penacova.
Pretende-se a divulgação de uma figura da nossa História e particularmente da história do Mosteiro de Lorvão e do nosso concelho. Esta iniciativa releva de inegável valor na medida em que através da imagem e do texto acessível, desperta no público infanto-juvenil  um maior interesse pela história local.
Trata-se de um trabalho, muito bem conseguido, especialmente dirigido ao público escolar.  Escreve o Prof. Dr. Nelson Correia Borges no Prefácio:  “De uma forma simples e atractiva poderão assim conhecer, entender e até venerar esta Santa Teresa de Lorvão, Santa Teresa de Portugal, rainha, mulher,mãe, monja de grandes virtudes” 
Na apresentação de hoje, Maria Alegria Fernandes Marques, professora da Universidade de Coimbra (que tem um estudo publicado sobre a temática) traçou uma esclarecedora síntese sobre a vida de D. Teresa. 
No site da Câmara Municipal podemos ler:
Teresa, a Inquebrantável (1178 - 1250):

Filha legítima de D. Sancho I e D. Dulce, foi esposa de Afonso IX de Leão, de quem teve três filhos. Declarada nula a união - os noivos eram primos - regressou a Coimbra onde recebeu por doação de seu pai, o Mosteiro de Lorvão,que haveria de reformar, em 1206, para a Ordem de Cister. Sob o hábito cisterciense e, apesar de Senhora do Castelo de Montemor-o-Velho, do termo da vila e de todos os seus rendimentos, haveria de viver em Lorvão até à sua morte, em 18 de Junho de 1250.

Sem comentários:

Enviar um comentário