segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O 31 de Janeiro e António José de Almeida: 120 anos depois

“ Recordar o 31 de Janeiro de 1891 – a Data – é cobrir de glória António José d'Almeida  – o Homem “
(Rocha Junior, Diário de Notícias de 1932)


Gravura publicada na revista Illustração onde se documenta a proclamação do novo regime feita a partir da varanda da Câmara Municipal do Porto, bem como o modo como então se saudou e festejou aquela vitória da liberdade -- ainda que efémera, como dolorosamente se viu logo depois...!

Gravura de 1890 publicada aquando
 da sua saída da prisão
 António José de Almeida fez parte do grupo que em Coimbra, aguardava que a revolução no Porto vingasse, para aqui, avançar também, logo que chegasse um telegrama de Alves da Veiga, com a fórmula combinada. Entretanto foram contactando militares nos quartéis da cidade. No dia 31 à tarde foram esperar o comboio do Norte para saberem notícias e logo se convenceram que a revolução tinha falhado. A confirmação chegou depois no comboio da noite, quando Basílio Teles chega a Coimbra. Fazer depender de um telegrama a saída à rua dos revoltosos terá sido um erro, no entender dos estudantes de Coimbra. António José de Almeida irá, no entanto, continuar a sua luta.

Meio ano antes, António José de Almeida fora processado e condenado por ter escrito um duro artigo no folheto "Ultimatum" contra a monarquia dos Bragança, com o célebre título "Bragança, o último". Foi julgado em 25 de Junho de 1890 e esteve preso três meses.

Sobre o 31 de Janeiro ver

Sem comentários:

Enviar um comentário