terça-feira, 13 de setembro de 2016

Notas para a história do monte da Srª da Guia

Capela da Srª da Guia - gravura de 1908

“Ainda se vislumbram, posto que com alguma dificuldade, os vestígios do antigo castelo que possuía [Penacova] cujo lugar era num elevado oiteiro que lhe fica ao fundo e que hoje é coroado com uma, ainda que pequena, contudo sumptuosa, capela dedicada à Senhora da Guia donde não somente é dominada a vila, mas se goza de vista encantadora do tortuoso Mondego, com mais de uma légua de distância. É este um dos lugares mais concorridos, com parcialidade, na estação do estio, depois que a sua superfície foi ricamente aplanada graças ao zelo e patriotismo de alguns ilustres cavalheiros que este ano deram complemento a esta empresa de reconhecida necessidade.” – escrevia Alves Mendes em 1857.
É também este penacovense, na altura seminarista (seria ordenado em 1861) que nas suas crónicas “Umas Férias em Penacova” recorda o projecto (nunca concluído) de se construir uma capela dedicada a S. Pedro naquele local:    
“Um penacovense ido para o Brasil foi em extremo favorecido pela fortuna e por sua morte deixou avultada quantia para, na sua pátria, ser construído um templo a S. Pedro, a quem consagrava especial devoção.
Foi esta entregue ao pároco da vila, D. João da Cunha Souto Maior, natural de Lisboa e parente em grau não remoto do notável D. Frei Gaspar Salazar Moscoso a cujo cuidado estavam entregues os senhores de Palhavã e reformador dos Crúzios.
Escolhido pelo sobredito Prior a alta eminência do castelo para semelhante edificação, lhe deu princípio com tão largas dimensões, que prometia aos tempos futuros um edifício monumental. Não sucedeu, porém, assim: os trabalhos afinharam e a obra não passou de quatro paredes.
Monte da Srª da Guia
numa fotografia dos inícios do século XX
Era Souto Maior duma ardentíssima caridade. Todos os seus bens foram dados aos pobres e tal era a sua afabilidade que extremosamente se tornou querido e de todos estimado: não tinha um só inimigo! Numa palavra aquele para quem o Criador foi tão pródigo no aumento de riquezas acabou a vida na mais lastimosa miséria, sustentado à custa de alguns penacovenses.
Longo e ate impróprio seria o relatar aqui da sua biografia. Basta que digamos que com admiração dele se conta – que era tal a sua caridade que chegou a dar a própria camisa!!!
Desta forma consumiu o virtuoso Prior a conta aplicada para aquela obra devota, ficando em simples começo, até que em 1783 o Dr. Tomás Patrício dos Santos edificou entre duas gigantescas muralhas da antiga era, a rica e elegante capela que dedicou à Senhora da Guia.”

Setembro de 1857


António Alves Mendes da Silva Ribeiro

Sem comentários:

Enviar um comentário