sábado, 22 de junho de 2013

Cartas Brasileiras: Arroz com Feijão



"Arroz com feijão”

No Brasil, para dizer que algo é corriqueiro, fácil, comum, do dia a dia, existe a expressão “é arroz com feijão”, porque a dupla de alimentos é uma constante na nossa mesa.
Deixando de lado a comida mais sofisticada e regionalismos,o feijão desde há muito tem estado presente na culinária doméstica. O arroz veio para cá em 1808, junto com a Coroa Portuguesa.
O prato é tão apreciado e comum, que muitos sentem sua falta depois de alguns dias fora de casa, ainda que desfrutando as delicias das cozinhas regionais do nosso Brasil, ainda que na Europa ou América.
O sentimento de falta se dá mesmo estando no Brasil, creio que muito mais pelo tipo de feijão. Para nós paulistas, uma semana maravilhosa no Rio de Janeiro é suficiente para que sintamos saudade do feijão vermelho, porque o feijão preto dos cariocas nos basta nas tradicionais feijoadas das quartas ou sábados (feijoada acompanhada pelo arroz).
A famosa dupla  (Arroz com Feijão) não tem nome próprio, a não ser no aconchegante e alegre nordeste Lá existe o "Baião de dois", arroz e o feijão preparados juntos, mais arroz do que feijão, regados com manteiga de garrafa. Contudo, passados alguns dias, mesmo com o forró (dança, ritmo e música local) queimando o pé, já chega.
Estando na Europa a situação ficar pior, com a barriga roncando de fome pela comida de casa. Em uma das viagens, depois de atravessarmos a fronteira Espanha-Portugal, em um restaurante do lugar chamado Vila Verde de Ficalho, o gentil casal de proprietários nos serviu arroz, feijão com toucinho e torresmo, fritas e bife acebolado!
Nos Estados Unidos, mais precisamente na Flórida, destino preferido de muitos brasileiros, ninguém mata cachorro a grito. Pode-se encontrar com facilidade arroz com feijão, como o "Gallo Pinto", feito com feijão vermelho, comida típica da Nicarágua e Costa Rica. O prato vem  acompanhado com  carne assada ou "desmenuzada" (desfiada), "maduros" fritos (banana frita), tajada (banana fatiada desidratada e frita) e queijo assado.
Na cozinha cubana, feito com feijão roxo e arroz, há os "Moros y Cristianos" (mouros, os povos bárbaros de pele morena, como o feijão e os cristãos de pele branca). Também de Cuba, o Congrí, feito com feijão preto. Os porto-riquenhos oferecem o "Arroz con habichuelas", El Salvador o "Casamiento" (arroz a noiva e o feijão preto o noivo).
A variedade dos nomes desse combinado pode vir da denominação que o feijão recebe em cada região: frijoles na Costa Rica, Cuba, El Salvador, Guatemala, Honduras, México e Nicarágua, habichuela em Porto Rico e Colômbia, chaucha na Argentina, Paraguai, Uruguai, poroto no Chile e caraota na Venezuela.
Puxando a sardinha para a minha brasa, diria que arroz com feijão imbatível era o da casa da minha meninice; um mexidinho preparado na frigideira com alguma sobra do almoço, abobrinha, batata, mandioca cozida, se sobrasse, quando não, apenas os "astros" com um pouco de farinha e um ovo quebrado por cima e mexido. Santo Deus!
 
ptjsantos@bol.com.br

 




1 comentário:

  1. Caro amigo Paulo,

    Que apetitosas lembranças o seu texto me trouxe...Vila Verde de Ficalho, Évora e adjacências em meados de Setembro de 2002 !

    Bom apetite !

    Arnaldo Pereira Von Atzingen/.
    SP,Jun/2013.

    ResponderEliminar