terça-feira, 10 de abril de 2012

Chelo recordou e reviveu récita dos anos sessenta

Recordar é viver

A sede do União Popular e Cultural de Chelo foi pequena para acolher as cerca de 260 pessoas que assistiram ao espectáculo “Recordar é viver”.
Há cerca de 40 anos atrás existiam em Chelo dois grupos de teatro amador, um pertencente ao Grémio Recreativo de Chelo e outro ao Chelo Recreativo Clube. Geralmente ensaiavam durante o período da Quaresma e no Sábado antes da Páscoa apresentavam um espetáculo nas suas sedes. Assim à semelhança do que aconteceu, este ano um grupo de pessoas de Chelo organizou um grupo de teatro (GRUTA C). Durante as sete semanas da quaresma ensaiaram algumas récitas e canções executadas pelos seus pais e avós e na noite de 7 de Abril presentearam o público com o espetáculo “Recordar é viver”.
O espectáculo começou com duas marchas, a da entrada e a da saudação com a presença dos 23 elementos do GRUTA C, as canções do “Ardina” com o Sérgio Assunção e “Amor gaiato” com Ana Paula Assunção e Filipe Laranjeira. Continuou a noite com o monólogo “És tu lindo amor”, interpretado pelo Zé Martins. Seguiu-se uma tragédia “O Condenado”, que contou com a participação de Artur Miguel, David Lopes , Daniel Assunção e Paula Silva. De referir que foram atribuídos a estes quatro “atores”, sem conhecimento prévio, os papéis dinamizados por familiares seus há 46 anos, respectivamente avós, pai e sogra.
Seguiu-se a recriação de “Serões de antigamente”, onde pudemos ver a paliteira, a costureira, a moleirinha, interpretados por Marta Assunção, Inês Daniela, João Cruz, Ana Marques e João Rei. Depois do intervalo Ana Fonseca e Hugo Castanheira interpretaram “Vem Cá Ó Manuel” e a Paula Silva, “Adeus Ó Terra”. Seguiu-se a comédia “Seringadela” com o Alexandre Ferreira e a Ana Marques. A terminar a sessão de récitas surgiu “O criado distraído”, dinamizado pela Catarina Costa, Daniel Assunção, Diogo Almeida e Renato Craveiro.
A noite já ia longa quando o grupo presenteou a assistência com a marcha final.
O mesmo espectáculo será apresentado no dia 26 de maio, pelas 21.30h na Biblioteca Municipal de Penacova / Centro Cultural.

NOTA: Estivemos em Chelo neste agradável serão que também a nós nos fez "recordar e viver" os tempos que partipávamos nas récitas da aldeia. Agradecemos à Dra Paula Silva que acedeu ao nosso pedido de nos enviar notícia e fotos do evento. Como nota histórica sobre o associativismo em Chelo deixamos também aqui um recorte de jornal dos anos trinta.

O Criado distraído – Catarina Costa, Daniel Assunção, Diogo Almeida e Renato Craveiro


O condenado – Artur Miguel, Paula Silva e Ricardo Assunção

 
Ana Fonseca, João Ferreira, Lurdes Ralha e Hugo Castanheira


Amor gaiato – Ana Paula Assunção e Filipe Laranjeira
 
Enphermaria Seringadela – Alexandre Ferreira e Ana Marques


És tu lindo amor –José Martins e Ardina – Sérgio Assunção
Clique para ampliar

Sem comentários:

Enviar um comentário